Bioserv SMO

Tipos de compostos podem tratar a esquistossomose, doença do verme parasita

Um novo e mais eficaz tratamento para a esquistossomose pode estar disponível depois que os pesquisadores descobriram uma série de novos compostos de drogas que são altamente eficazes contra as três principais espécies de vermes parasitas que causam a doença, de acordo com uma nova pesquisa.

A pesquisa foi conduzida pela Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres (LSHTM) e pela empresa de descoberta de medicamentos Salvensis. Os candidatos a medicamentos estão agora sendo explorados pelo Merck Global Health Institute como um novo tratamento potencial para a esquistossomose humana.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a esquistossomose, também conhecida como Bilharzia, afeta quase 240 milhões de pessoas em todo o mundo, e mais de 700 milhões vivem em áreas endêmicas. A infecção ocorre quando as pessoas entram em contato com a água doce contendo as larvas dos esquistossomos por meio de natação, lavagem e coleta de água para beber.

As larvas penetram na pele humana e os vermes amadurecem dentro dos vasos sanguíneos do corpo e colocam ovos que ficam presos nos tecidos do corpo. A reação do corpo a esses ovos causa inflamação e danos a vários órgãos, principalmente o fígado, os pulmões, o intestino e a bexiga.

A Dra. Helena Helmby, Professora Associada da LSHTM e autora do estudo, explicou que “a esquistossomose é uma doença grave que afeta principalmente populações em países de baixa renda. Atualmente o único tratamento é o praziquantel, que em altas doses é eficaz contra vermes adultos. mas não contra vermes juvenis, portanto, é necessário repetir o tratamento ”.

A Dra. Beatrice Greco, Chefe de Pesquisa e Desenvolvimento e Acesso do Merck Global Health Institute, disse que “este programa de pesquisa emocionante é essencial para o portfólio global de medicamentos para a esquistossomose e, se for bem-sucedido, pode desempenhar um papel importante no controle da doença.”

Eles identificaram uma série de novos candidatos a drogas promissores que foram altamente eficazes contra vermes adultos e juvenis como uma dose única aproximadamente 10 vezes menor do que a necessária para o praziquantel, para o qual a OMS recomenda uma dose de 40mg/kg.

Todos os compostos tiveram um bom perfil de segurança, podem ser feitos em relativamente poucas etapas e foram eficazes contra as três espécies de esquistossomos adultos que causam a maioria das doenças humanas.

O Dr. Helmby acrescentou que por mais que este seja um passo empolgante para a eliminação da esquistossomose, esses compostos ainda precisam passar por mais testes e ensaios clínicos.

“Como eles são ativos contra os vermes mais jovens, há a perspectiva tentadora de não apenas um novo tratamento para a esquistossomose, mas o primeiro a curar também após uma única dose”, indicou. Ademais, os pesquisadores reconhecem as limitações do estudo, incluindo a necessidade de desenvolver e testar esses compostos quanto à sua eficácia em humanos.

Fonte: Medical Xpress

Arquivo

Este website utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação. Ao clicar no botão ao lado, você concorda com a nossa Política de Privacidade.