logo

Nova técnica pode acelerar a criação de medicamentos e vacinas

Pesquisadores acrescentaram aprendizado de máquina e Big Data a um sistema de análise de processos biológicos que ganhou o Nobel em 2014 para torná-lo mais eficaz

Pesquisadores desenvolveram uma nova técnica de análise multidimensional que pode acelerar o desenvolvimento de novos medicamentos e vacinas. O estudo foi produzido na Escola Pritzker de Engenharia Molecular (PME) da Universidade de Chicago e seus resultados publicados na revista científica Cell Systems.

O novo modelo avança sobre uma técnica moderna e já bastante eficaz, a LLSM (lattice light sheet microscope, ou microscopia de folha de luz em treliça), que permite que biólogos moleculares façam vídeos de processos biológicos em 4D – levando em conta escalas espaciais e temporais. Esse trabalho rendeu ao físico norte-americano Eric Betzig o Prêmio Nobel de Química de 2014.

Time-lapse de uma célula T interagindo com uma célula mCherry-CH27 (vermelha) carregada com peptídeo MCC. Vídeo: Cell/Reprodução

Combinando imagens em alta resolução e análises de Big Data, o LaMDA pode revelar e até prever os estados das células T. Segundo Rosenberg, um dos aspectos mais promissores do LaMDA é o seu potencial para prever respostas biológicas, sem a necessidade de experimentos complexos.

Isso significa que a técnica poderia ter inúmeras aplicações médicas, como testes de medicamentos e desenvolvimento de vacinas, além de expandir o conhecimento da biologia das células T. “Pesquisadores ou empresas farmacêuticas podem usar o LaMDA para determinar como certos medicamentos estão resultando em mudanças sutis na sinalização subcelular, que fornece informações sobre segurança e eficácia dos medicamentos”, disse Rosenberg.

  • Share

Comments are closed.