logo

Aprovado novo medicamento para tipo dominante de câncer de mama

Foi aprovada no Brasil a comercialização do Piqray® (alpelisibe), o primeiro tratamento específico para pacientes com câncer de mama avançado ou metastático HR+/HER2-, com mutação PIK3CA, após progressão da doença durante ou após o uso de terapia inicial de base endócrina.

Produzido pela farmacêutica Novartis, Piqray é indicado em combinação com o medicamento fulvestranto para o tratamento de mulheres na pós-menopausa e homens.

O estudo SOLAR-1 de fase III demonstrou que a combinação dos fármacos quase dobrou a sobrevida livre de progressão (SLP) de 5,7 para 11,0 meses em pacientes com câncer de mama metastático, com a mutação PIK3CA, em comparação ao uso do fulvestranto isolado.

O fármaco forneceu resultados de SLP consistentes em subgrupos pré-especificados, independente de tratamento anterior com CDK4/6 e presença ou ausência de metástases pulmonares/hepáticas.

Leia também: Exame genético reduz em 70% as sessões de quimioterapia para câncer de mama

PIK3CA é a mutação mais encontrada no câncer de mama tipo HR+/HER2-, atingindo 40% das pacientes. Essas mutações estão associadas ao crescimento do tumor, à resistência ao tratamento endócrino e a um mau prognóstico geral.

Estima-se que 20% a 50% dos pacientes com câncer de mama em estágio inicial desenvolverão a doença em estágio metastático. O câncer de mama é o tipo mais incidente de câncer entre as pacientes brasileiras depois do câncer de pele não melanoma.

Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA), apenas em 2018, foram identificados 60 mil novos casos da doença no país.

Mais sobre o Alpelisibe

O Alpelisibe é um inibidor de quinase aprovado em combinação com fulvestranto para o tratamento de mulheres pós-menopáusicas e homens com câncer de mama avançado HR+/HER2-, com mutação PIK3CA após progressão da doença que tenha ocorrido durante ou após o uso de terapia inicial de base endócrina.

Cerca de 40% dos pacientes com câncer de mama avançado HR+ têm uma mutação que pode ativar a isoforma PI3K-alfa, chamada de mutação PIK3CA. Essas mutações estão associadas à resistência à terapia endócrina, à progressão da doença e ao mau prognóstico geral.

O Piqray® funciona inibindo a via PI3K, predominantemente a isoforma PI3K-alfa, para abordar o efeito da mutação PIK3CA.

No atendimento às pacientes com câncer

Os médicos devem sempre informar aos seus pacientes sobre todos os tratamentos disponíveis para o câncer de mama avançado e também como lidar com a doença, em seus diferentes estágios.

O foco do tratamento nesta fase metastática não deve ser a cura, mas o controle da doença e a manutenção da qualidade de vida. Não há um padrão de tratamento universal para o câncer de mama metastático, pois tudo depende do quadro de cada paciente.

 

fonte: https://pebmed.com.br/aprovado-novo-medicamento-para-tipo-dominante-de-cancer-de-mama/

  • Share

Comments are closed.